– O caminhão de goiaba passou por aqui?– E o de cebola.E enquanto um Zé descascava o trem, o outro contava o que havia visto. Um sole ardeno, bege sem fim: bem-vindo à senzala do mundo. Das veiz, em algum lugar, seus...

Read More


Zé era uma espécie de Benjamin Button. Quando pequeno, há muito, muito tempo perdido no tempo, recusava-se a usar calças curtas. Parece até que já nasceu com oitenta anos. Suspensórios, camisas, botões e chapéus. Cheirava a palha do cigarro e, num...

Read More


Declaração de amor eterno

Sabe, Zé… nóis é casado faiz tanto tempo e nunca larguemo. Nunca briguemo… assim, briguemo feio de verdade memo, né? Igual a Dolores e o seu Luís. Tinha dia dela saí pa barrê o quintar tuda roxa. Mas nóis não. Das...

Read More


Deu no jornal. Na tevê não dá, purque não tem tempo, né? Tá passano jogo e BBB. Aliáis… quem ganhô? Quem saiu? Pobre guvernadô. “Fora hostilizado” pelos professor da rede estadual – esses sim, bandi baderneru! Onde já se viu, dona...

Read More