Uma horta. Poesia

Não se ama uma horta só pela cenoura
Ou pela alface
Tampouco só pela rúcula.

Eu sei… amarias a horta só pelo
tomatinho cereja
Que explode na boca
Agridoce
Feito cerveja
Gelada
Depois daquela
semana
pesada.

Mas há de se amar uma horta
também pelas pragas
Pelos pelos
Pela terra.

Uma horta se ama pelo todo
Pelo tudo
Pelo nada.

O amor é uma aorta.


Redatora, professora e inventadora, tenho como verdadeira paixão a língua portuguesa e as piruetas que ela dá na ponta de cada lambida. A casualidade é minha amiga; a poesia, anfitriã. Entre - sem hora pra sair.

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *